quarta-feira, 4 de abril de 2012

O duto frontal da Mercedes - fim da novela!



Depois de várias especulações de especialistas em aerodinâmica sobre como seria o tal duto frontal do carro W03 da equipe Mercedes, finalmente o segredo real foi revelado após equipes, fotógrafos e jornalistas observarem atentamente o carro.

As imagens reveladoras que faltavam para concluir o quebra-cabeças são essa à esquerda e à direita: vemos na FOTO 1 a entrada de ar sob a asa móvel/DRS que só funciona quando ela está aberta, conduzindo o ar captado na asa traseira até a frente do carro, precisamente para a parte de baixo da asa dianteira que visualizamos na FOTO 2 através de dutos internos agora finalmente visíveis (essa era a peça que faltava!) na FOTO 3 bem no na frente do cockpit, que mostram a tubulação que cruza o carro de ponta a ponta.

Abaixo um vídeo em inglês mostra detalhadamente com uma animação por computador como esse sistema da Mercedes opera:
Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1

10 comentários:

João do Cassino disse...

ross brawn, seu safadinho....

Anônimo disse...

Inácio esse sistema é fácil de copiar ?

Anônimo disse...

pena q isso nao se reflete em pontos.

Anônimo disse...

Sinceramente, é mais uma engenhoca muito estranha que não vejo funcionalidade que a justifique. A parte que joga o ar captado pelo aerófio traseiro no dianteiro e para onde ele vai, não consegui ver utilidade relevante.

Anônimo disse...

A Mercedes foi feita para o Schumacher que prefere um carro mais solto e traseira (understeer). Essa tecnologia com mais aero na frente favorece o estilo de pilotagem do Schumacher.

Bruno fsK disse...

schumacher é o dick vigarista, isso explica tudo!!

@bf2375

Anônimo disse...

José Inácio , poderia explicar como pode o ar ser coletado na zona de baixa pressão e quase vácuo com a asa aberta e ser enviado para a zona de alta pressão , frente do carro? É totalmente ilógico , agora com a asa aberta e o fluxo de ar puxando o ar da frente e nas aberturas na parte de baixo da asa dianteira , fazendo estas se aproximarem da pista e provocando o efeito solo e estolando a asa dianteira , ai sim parece ter ganho e eficiência e não este conceito ilógico de dinamica de fluidos , pois qualque fluido sempre se desloca da zona de maior pressão para a de menor pressão.

AmandioGP disse...

Só 1 coisa: QUE PRESEPADA DOIDA!!!

glauco disse...

O pessoal aqui parece que nao entendeu direito. O que acontece e o seguinte. O aerofolio gera o efeito solo por ter a superficie inferior maior que a superior devido a curvatura. Isso faz com que o ar que passa por baixo tenha que percorrer uma distancia maior que o que passa por cima, ficando portanto mais rarefeito embaixo o que gera uma pressao maior em cima. Isso e o efeito solo Esse sistema da Mercedes ao levar o ar coletado atras do carro para a paryte inferior do aerofolio da frente faz com que o ar deixe de ser mais rarefeito embaixo do spoiler o que anula o efeito do aerofolio dianteiro. Como o sistema so e aberto quando aciona o DRS fica tudo maravilhoso. Na hora que reduz o efeito da asa traseira devido ao DRS o sistema anula tambem o efeito da asa da frentem equilibrando o carro e diminuindo o seu arrasto. Muito inteligente e eficaz. So tem um problema. Na corrida, onde o DRS so pode ser acionado em um ponto o duto tambem so vai funcionar nesse ponto. Mas ja no treino, onde o DRS pode ser acionado em todas as retas ninguem consegue acompanhar. Por isso a mercedes esta se dando melhor somente nos treinos.

glauco disse...

Anonimo. Quando o DRS abre a zona abaixo da lamina superior da asa se torna de baixa para alta pressao, captando o ar. Depois atraves dos dutos esse ar e injetado embaixo da asa dianteira que passa a ter a pressao equalizada com a parte de cima anulando o efeito solo na dianteira. Resumindo, injeta ar na zona de baixa pressao na medida certa para equalizar as pressoes em cima e embaixo da asa dianteira. Assim quando a asa traseira perde efeito pelo DRS a dianteira tambem erde.