terça-feira, 3 de junho de 2014

A. J. Foyt - de 1958 a 1993 na F-Indy

A. J. Foyt em Indianápolis, 1958


Não vou aqui me aprofundar muito na grandeza de A. J. Foyt no automobilismo - basta dizer que ele é o único piloto que já venceu as importantes provas das 500 Milhas de Indianápolis, das 500 Milhas de Daytona, das 24 Horas de Le Mans e das 24 Horas de Daytona e que também já competiu até de Fórmula 1 - ainda que sem grande êxito nessas poucas tentativas. O que eu gostaria mesmo é realçar uma das características de sua carreira que mais desperta admiração, sua grande longevidade!

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1

A. J. Foyt em Indianápolis, 1993
Foyt teve sua primeira experiência com um carro de Fórmula Indy quando a categoria ainda não tinha nem esse nome, em sua primeira disputa da Indy 500 de 1958 e disputou sua última corrida em 1993, quando se despediu do público uma uma volta lenta ainda numa das sessões de classificação da famosa corrida, conforme você vê nessa foto acima - um hiato de impressionantes 35 anos! Ah, e nesse meio tempo ele ganhou essa prova 4 vezes e levou o título do campeonato apenas outras 7 e venceu 67 corridas, recorde absoluto da categoria.

Pela Nascar ele também competiu por bastante tempo em corridas disputadas entre os anos de 1963 e 1994. Essa última foto abaixo mostra Foyt em sua despedida pela categoria de carros "de estoque" na mesma pista de Indianápolis um ano depois do seu adeus aos monopostos. Hoje ele está firme e forte à frente de sua equipe de Fórmula Indy pela qual compete o japonês Takuma Sato.
A. J. Foyt na Nascar, 1994

6 comentários:

Anônimo disse...

Ele morreu ?

Rodrigo Pioio disse...

Hoje ele está firme e forte à frente de sua equipe de Fórmula Indy pela qual compete o japonês Takuma Sato.

Anônimo disse...

"Ele morreu?"

PQP,que preguiça de ler o post,hein?

Ou será que tu é uma anta mesmo?

Anônimo disse...

Os feitos de A.J.Foyt foram históricos porque suas conquistas foram em uma época extremamente perigosa. Esta procurando o melhor de todos os tempos?. Foyt deixa todos grandes campeões da Formula 1 no chinelo. Pelo que entendi, Foyt possui cerca de 159 vitórias na carreira, surreal!

USAC & CART Car Championship série
Largadas - 369
Vitórias - 67
Poles - 53
Títulos: 1960, 1961, 1963, 1964, 1967, 1975, & 1979.

*USAC Championship Car Series é antiga Formula Indy(1956-1979)

Venceu as 500 Milhas de Indianápolis por quatro vezes, em 1961, 1964, 1967 e 1977.
Venceu as 500 Milhas de Daytona 1972 .
Venceu as 24 Horas de Le Mans em 1967.
Venceu provas na NASCAR e na CART.
Venceu duas vezes o Internacional dos Campeões, all-star em 1976 e 1977.
Na NASCAR ganhou a famosa corrida Firecracker 400 em 1964.
Foyt também sobreviveu a três acidentes espetaculares que causaram ferimentos graves.

Piloto versátil, conquistou vários títulos na carreira:

1960- USAC Sprint Car Series Champion
1968- USAC Stock Car Champion
1972- USAC Silver Crown Series Champion
1975-76- IROC Champion
1976-77- IROC Champion
1978- USAC Stock Car Champion
1979- USAC Gold Crown Champion
1979- USAC Stock Car Champion

Resumo Carreira:
-Foyt pilotou em Indianápolis 500 por 35 anos consecutivos, vencendo quatro vezes (o primeiro dos três únicos a fazê-lo).
-Foyt é o único piloto a vencer a Indy 500 em ambos os carros com motor dianteiro e traseiro, ganhando duas vezes com ambas as configurações.
-Foyt é o único piloto a vencer as 24 Horas de Le Mans e 500 Indy no mesmo ano (1967).
-Ele é a única pessoa a conquistar vitórias na 500 Milhas de Indianápolis, Daytona 500(Stock-Car), 24 Horas de Daytona(duas vezes, com o co-piloto Bob Wollek ), 24 Horas de Le Mans, 12 Horas de Sebring (sua última grande vitória profissional, em 1985, com o co-piloto Bob Wollek).
-Ele esta entre os 12 pilotos que conquistaram a "Tríplice Coroa" de corridas de Endurance (vitórias nas 12 Horas de Sebring, 24 Horas de Daytona e 24 Horas de Le Mans).

-Ele também tem 41 vitórias USAC Stock Car, 50 na Sprint Car e Dirt Champ Car .
-Ele ganhou o 1975 e 1976 Australian Grand Prix Speedcar no Liverpool Speedway em Sydney.
-Ele ganhou 12 principais campeonatos de condução em várias categorias.

-Foyt ganhou o IROC em 1976 e 1977.
-Foyt ganhou sete provas na NASCAR.
-Junto com Mario Andretti , são os únicos homens a ganhar a 500 milhas de Indianápolis e Daytona.
-Foyt detém o recorde de velocidade em circuito fechado dirigindo o Oldsmobile Aerotech a uma velocidade média de 257,123 milhas por hora (413,799 kmh). Ele estabeleceu o recorde em 27 de agosto de 1987, na pista de testes perto de Fort Stockton , Texas .

Prêmios:
-Foyt foi introduzido no International Motorsports Hall of Fame em 2000.
-Foyt foi nomeado para 50 Greatest Drivers da NASCAR lista em 1998.
-Ele foi nomeado para o National Sprint Car Hall of Fame em 1990.
-Ele foi introduzido no Salão da Fama do Motorsports da América como o único piloto 'roda aberta' na primeira turma de 1989.
-Ele foi introduzido no Midget Auto Racing Salão Nacional de Fama em 1988.

Marcelo

Anônimo disse...

Não caio nesse papo-furado de "melhor de todos os tempos", no meu entender, isso esta mais ligado ao marketing barato. Coisa que não existia até a década de 70.

Mas se algum piloto um dia chegou perto de ser o "maior ou melhor de todos", com certeza esse passou bem longe da Formula Um...

Pilotos como Rudolf Caracciola, Bernd Rosemeyer, Tazio Nuvolari e A.J.Foyt deixam todos os campeões da Formula Um na condição de pilotinho de autorama.

No dia que algum piloto vencer o Mundial de Formula Um, Mundial de Rally(WRC), Campeonato da NASCAR! Algumas vezes a Indy 500, fora 24 Horas de Le Mans e Daytona. Aí ele pode pensar em se aproximar de Caracciola, Rosemeyer, Nuvolari e A.J.Foyt...

Na Formula Um eu separo os grande campeões por décadas, é mais justo e sem a imbecilidade da arrogância. Perguntem a J.Stewart, N.Piquet, N.Lauda e A.Prost se eles estão MUITO PREOCUPADOS em não serem lembrados como o "maior de todos" dentro da Formula Um. Cada um deles vão dar uma bela resposta.

Stewart por exemplo vai lembrar que na sua época a palavra segurança não existia. Outro detalhe, o escocês nunca dependeu de telemetria pra acertar seus carros, tudo era feito na raça e talento. Pra quem não sabe, a telemetria apareceu na F-1 a partir de 1984(chamada de era moderna), dentro dos boxes vários computadores já acumulavam dados dos carros através da famosa "cx-preta". Através de computadores, engenheiros já sabia o que ocorria com os carros na pista. Telemetria também 'entregava' erros dos pilotos ao volante. No tempo de Stewart o bólido era movido por três coisas: aderência - mecânica, hidráulica e elétrica.

O carro não tinha nada de eletrônica, muito menos algo ligado a informática. O último campeão sem ajudinha de computadores foi Piquet em 1983, naquele ano o piloto ainda valia 50%, exatamente como nos tempos de Stewart. Telemetria na F-1 facilitou muito a vida dos pilotos a partir de 1984. Isso o Galvão nunca levou em conta, e nem vai levar, seu negócio é transformar esportistas em "heróis" do povo, mas isso é muito fácil através do marketing barato.

Marcelo

Anônimo disse...

Isso sim eu chamo de troféu, mas os pilotos naquela época mereciam. Nuvolari fazia o "diabo" dentro do carro, quando não pilotava motos e carros com braços e pernas engessados, pilotava sem volante...

Nuvolari recebe troféu:
http://www.nobresdogrid.com.br/site/images/stories/Nobres_do_Grid/GP_Legends/Tazio/tazio_nuvolari_11.jpg

Nuvolari chega aos boxes pilotando sem o volante:
http://1.bp.blogspot.com/-rnTckCSxivE/ToCevxyA2II/AAAAAAAAAbY/2FXh1O3xb64/s1600/nuvolari_06.jpg

Pra quem não conhece a história, nesse GP o volante do carro do italiano se soltou da coluna de direção. Nuvolari travou uma chave de roda no lugar e pilotou assim mesmo...haja coragem!!!

Marcelo