sexta-feira, 30 de maio de 2014

A complicada cabeça de um Hamilton em guerra

Lewis Hamilton iniciou uma guerra psicológica contra seu companheiro Nico Rosberg. Dias antes da corrida, quando perguntado a que creditava seus recentes sucessos ante ao alemão, o inglês respondeu que provavelmente se devia ao fato de Rosberg estar acostumado a hotéis, jatos e iates - dando a entender que ele Hamilton por ter origens mais humildes, tinha mais garra.


Na classificação de sábado Rosberg errou uma freada e atrapalhou a classificação de Hamilton, que vinha mais rápido e poderia roubar a pole do alemão. O campeão de 2008 saiu fazendo insinuações nada sutis que o erro havia sido deliberado e evocou a disputa Senna x Prost como seu futuro modelo de ação ante as atitudes maléficas do rival.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1 


Além desse tipo de fala me parecer descabida e desproporcional, uma vez que eles se conhecem desde a pré-adolescência e não são inimigos figadais como quer parecer - pelo menos não por parte de Rosberg, o passado indica que se realmente a coisa descambar para uma guerra psicológica, é Hamilton quem tende a ser o maior perdedor, já que não costuma ter a frieza e maturidade necessárias para prevalecer nesse tipo de contenda, tendendo a se ver prejudicado ou mesmo sabotado ante aos menores revezes de corrida, como algumas mensagens de rádio em Mônaco já "dando piti" por causa da mudança de estratégia de paradas por causa da saída do safety-car já indicaram.

Da grande velocidade pura de Hamilton ninguém duvida, mas indo por esse tortuoso caminho beligerante ele terá que provar ao mesmo tempo que conseguirá manter o equilíbrio mental e frieza, algo nunca antes visto e - ainda mais importante - que não chamuscará a imagem corporativa da Mercedes, sua empregadora e que não pode se dar ao luxo de ver nome mundialmente aclamado arrastado para uma desastrada batalha de egos onde tudo de errado pode acontecer entre declarações polêmicas que tendem a se multiplicar.

Será interessante ver como Niki Lauda e Toto Wolff vão lidar com essa espinhosa situação daqui pra frente.

7 comentários:

Junior disse...

O Hamilton acha que é o Senna. Não é. Em termos de agressividade, até têm um pouco. Mas a cabeça, longe. O Senna era conhecido por ter um psicológico único. Forte como um touro. Tinha suas fraquezas, como todos, mas neste quesito, era um touro. O Hamilton é frágil e, por muitas vezes, imaturo como uma criança mimada. O Rosberg está longe de ser um piloto que arranque suspiros mas, é cerebral, quieto, polido. Pode ganhar do inglês, exatamente por isso. Não tenho bola de cristal, mas, se o ano continuar assim, o Alonso passa a ter chances na Mercedes. E não no lugar do Rosberg que já renovou. Mas sim do Hamilton, caso este surte e peça pra sair por perder o título se achando inferior por ser inglês num time alemão com um piloto alemão. Seria uma ironia do destino. Já que, por este motivo, o Alonso surtou na McLaren e, se sentindo preterido por um inglês num time inglês, preferiu rasgar o contrato e sair. Não tenho bola de cristal, claro, mas que seria uma daquelas histórias clássicas da Fórmula 1, seria...

Unknown disse...

Muito bom o comentario

Gutemberg disse...

sempre torci pro Hamilton, mas ele não tem uma cabeça muito boa, é uma pena, já está provado que Rosberg está melhor mentalmente nesta guerra pelo título, Se a lógica existisse a Mercedes obviamente lutaria pelo Rosberg, Hamilton não pode jogar fora essa chance que a equipe deu de eles disputarem na pista, acho que só quem perde é ele, já começo a achar possível um Roberg campeão, essa pode ser a última chance do Lewis.

Anônimo disse...

Torcia para o Rosberg desde que foi motivo de piada quando disse que poderia superar o Schumacher, e calou a boca de muitos.

Não sei o que dizer sobre o acontecido em Mônaco, só quem está dirigindo sabe a resposta, e cada câmera me dá uma impressão diferente.

De fora parece que o Rosberg vira o volante para causar uma rodada, e o carro está tão bem acertado que não sai da pista.

Na câmera onboard me pareceu um erro, e ele ainda tentou tirar o carro, mas aquele balanço no volante ainda me chama a atenção.

Ele vira para os lados de uma maneira bem estranha do que é visto normalmente para um F1.

Sobre o Hamilton, esse ano ele está melhor, mas só teve, desde a sua estréia, um título bem na sorte para todo o que foi dito que ele poderia ser.

Evidente que um piloto tem que estar no lugar certo e na hora certa, e a F1 é muito questão de sorte.

Não adianta o piloto se destacar, e na hora de ter uma chance, pega uma bomba de carro, como o caso do Alonso, que poderia ter muito mais títulos, ou o Vettel, que se caso tivesse o Ricciardo nas temporadas entre 2010 e 2013 poderia não ter todos esses títulos.

Hamilton já cometeu muitos erros em momentos importantes, mas acho que ele está diferente, e bem mais focado.

Anônimo disse...

Junior, eu tenho essa mesma sensação de que o Hamilton acredite ser o Senna. Parece que ele quer viver tudo o q o Senna viveu, até mesmo criar uma rivalidade com um companheiro de equipe! Sinceramente, não estou entendendo a postura dele! Acho ele fraco psicologicamente e, por isso, corre sério risco de perder um campeonato que está nas mãos dele!

No_ParanoiaBr disse...

O cara foi campeão e correu pra Los Angeles, arrumou uma namorada que vive naquela cidade que é famosa por não ter pessoas muito boas da cabeça. Lá assumiu uma postura de popstar que levou pra frente. Toda crise que ele tem com ela o prejudica na pista. Está em outro mundo, não o de esporte. Desculpe Hamilton, vc é muito bom, mas foi procurar uma vida que só leva pra merda

Jurandir Pacheco disse...

NoParanoia, de onde importa de onde vem a namorada de Hamilton? O cara mora em Mônaco, no mesmo prédio que Rosberg, inclusive.

A saída de Rosberg é ainda discutível, em minha opinião. Mas, segundo Lewis no twitter e FB, eles conversaram e resolveram suas tretas.