sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Bomba: Eric Boullier troca Lotus por McLaren?

Eric Boullier e Martin Withmarsh
Eric Boullier, deve ser apresentado em breve como novo chefe de equipe da McLaren, garantem setores importantes da mídia especializada inglesa. Martin Withmarsh, que havia sucedido Ron Dennis em 2009 e que desde então se afastou politicamente de seu antigo padrinho, teria sido convidado a assumir um outro cargo diretivo do setor de tecnologia do grupo McLaren.

Withmarsh havia perdido muito de seu prestígio com a saída de Lewis Hamilton no fim de 2012, do diretor técnico Paddy Lowe em 2013 e sobretudo com o retumbante fracasso da temporada passada, onde ficaram fora do pódio pela primeira vez em mais de três décadas, também piorado com a dispensa de Sérgio Perez após apenas uma temporada, dando a clara impressão que sua contratação foi um erro desde o começo. Para coroar, a equipe quase não consegue terminar o carro a tempo de participar dos testes de inverno em dessa pré temporada ao ser reprovada nos testes iniciais de resistência exigidos pela FIA para homologar o novo carro, aprovado só agora.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1

Com seu ex-amigo Ron Dennis reassumindo a chefia geral da divisão de competição da equipe, a posição de Martin ficou ainda mais fragilizada, e agora sucumbiria.

Eric Boullier era o chefe de equipe da Lotus desde Janeiro de 2010, sem nunca ter trabalhado na Fórmula 1 antes. Ele teria pedido demissão da equipe muito recentemente e deve assumir o mesmo cargo na McLaren em breve, de modo que podemos imaginar que ele também não teve seu contrato de trabalho respeitado (leia-se salários atrasados), dando-lhe assim a brecha legal para sair da Lotus sem ter que cumprir um período sabático normalmente imposto nessas situações de troca de pessoal entre equipes.

Gerard Lopez, sócio do fundo de investimentos Genii que possui a equipe é quem assume a chefia da Lotus. Temos agora que aguardar uma confirmação da McLaren...

5 comentários:

Juliano Camargo disse...

Caso isso se confirme, a Honda vai ter um bocado de informação sobre os projetos da Mercedes E da Renault.

Anônimo disse...

Tô achando que o Maldonado embarcou numa barca furada. O time está perdendo muita gente qualificada...Bem feito! quemmandou ser "zoiúdo".

Anônimo disse...

Vai ser uma campeonato fantástico(visual pra mim é o que menos importa, nos anos 70 apareceu cada coisa bizarra e ninguém lembra). A confiabilidade vai ser um drama para todas equipes, o câmbio vai ter oito marchas e a mesma relação de tem que ser usada em pista travada(Mônaco) ou de longa como Monza.

Motor turbo(independente da época) a temperatura vai as alturas, o consumo de combustível também pode ser outro fator decisivo nas últimas voltas. Não vai adiantar muito piloto dar show de velocidade nas primeiras 20/30 voltas e depois ficar a pé nas últimas voltas. Bom lembrar, turbo sempre deixa o piloto mais instigado a acelerar. Motorista de rua que já teve carro turbo sabe disso...

Nem sempre carro ou piloto mais rápido vencem(aconteceu muito nos anos 80, turbo x aspirados). Nessa nova era turbo quem souber dosar melhor o equipamento pode surpreender na parte final buscando os líderes. Pilotar por "instrumentos" pode ser o pulo do gato nas corridas(Piquet levou o título assim em 83), quem forçar muito mais cedo ou mais tarde vai ter que tirar o pé pra poupar equipamento. Muito não fazem, logo ficam pelo caminho...

Melhor Hamilton manter a cabeça no lugar(ele fez isso em 2012/13), Rosberg sabe dosar melhor o equipamento pode levar vangagem. No final, o que conta para o campeonato é saber levar o carro até a bandeirada. Coloco Vettel, Alonso, Raikkonen e Button entre os melhores nesse aspecto...

Piloto muito arrojado sofre muito com quebras e acidentes, cansei de ver isso com a dupla da Ferrari(Villeneuve e Pironi) e a dupla da Renault(Arnoux e Prost) no início da era turbo. Prost ainda mudou o estilo de pilotagem a partir de 85(aprendeu com Lauda), logo os títulos apareceram. Um piloto "cerebral" sempre vai apostar na afobação do rival mais arrojado, e isso vale muitos pontos. Prost provou isso dando AULA em cima de Piquet e Mansell em 86 e repetiu o feito em cima de Senna em 89. Na verdade em cima de Senna não foi aula e sim SURRA de regularidade.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Temporada_de_F%C3%B3rmula_1_de_1986

http://pt.wikipedia.org/wiki/Temporada_de_F%C3%B3rmula_1_de_1989

Marcos Paulo disse...

nada do Ross então.
Williams?

Anônimo disse...

Marcelo pau no cu não perde a chance de colocar o Senna em qualquer dos seus comentários,mesmo que não tenha nada a ver com o post...

Deixa de ser patético,cara...