segunda-feira, 24 de março de 2014

Contrariada, Red Bull ameaça deixar a F1

Ricciardo, Horner e Masterchitz

O dono da Red Bull, o austríaco Dietrich Masterchitz já havia dado seu recado no passado: Se a Fórmula 1 não fizer mais sentido para eles como ferramenta de marketing, poderão sair da categoria. Agora ele acrescenta: "valores esportivos" e "politica" também podem afastar o grupo das pistas.

Ele está falando sobre a recente desclassificação de Daniel Ricciardo do GP da Austrália, graças a um consumo de combustível maior do que o permitido. Charlie Whiting, diretor técnico da FAI disse que já havia avisado a equipe sobre as irregularidades antes, mas Dietrich diz: "O fato é que o sensor de consumo da FIA nos fornece dados imprecisos desde que começamos a testar, podemos provar que estávamos dentro do limites legais", acrescentando que "a questão não é tanto se a Fórmula 1 faz sentido sob o ponto de vista econômico, mas sim (sob o ponto de vista) de valor esportivo, influência política e coisas do tipo. Nós já tivemos de tudo, mas segundo nossa perspectiva há um limite do que podemos aceitar.

Curta nossa página no FACEBOOK clicando AQUI e também siga-me no Twitter: @inacioF1

Sobre a questão dos novos motores ele também deu o seu pitaco: " Fórmula 1 deveria ser o que sempre foi: a categoria máxima. Ela não está lá para quebrar recordes de economia de combustível para que você possa cochichar durante as corridas, cuja maior atração será o som dos pneus escorregando" e emendou falando sobre os tempos de volta "considero igualmente absurdo que que estamos 1 segundo mais lentos do que no ano passado e que uma categoria junior como a GP2 está quase tão rápida como nós gastando uma fração do orçamento"

O que me parece é que sendo essa a primeira vez em anos que sua equipe não começa a temporada como franca favorita ao título, seu dono, ainda que tenha crenças legítimas, parece estar resmungando porque as mudanças de regulamento acabaram não dando tão certo para sua turma. Duvido que se eles tivessem feito uma dobradinha na corrida passada ele teria dito uma só palavra sobre as tais novas regras.

Quanto a reclamação da desclassificação de Daniel Ricciardo, bem, ele diz poder provar que estava dentro da legalidade, pois que prove, aí tudo estará resolvido e seus pontos devolvidos, mas ele está claramente colocando pressão política em cima do caso para que sua ameaça pese na decisão do tribunal da FIA quando avaliar seu recurso...

19 comentários:

Jomar Amaral disse...

eu acredito em fadas!

Anônimo disse...

So acho q a historia do combustivel, seria simples se limitassem o tanque em X quilos/litros assim como eu acho q era na decada de 80 quando existia pane seca e os pilotos tinham q controlar seus gastos... nao impor limite de kg/h ate pq o publico nao entende nada!

Anônimo disse...

Acredito que ele não tenha falado isso atoa (mesmo que dramatizado).

Óbvio que há muita política na F1, e que fizeram muitas alterações para frear o domínio da Red Bull (era a finalidade principal dessa mudança drástica do regulamento).

Mas também está claro que as palavras dele são para pressionar a FIA a devolver os pontos.

Ou seja, no fundo, no fundo, tudo se resume a política, tanto por parte da FIA, quanto pelos lados das equipes.

Anônimo disse...

clap clap clap...as observaçoes do José Inacio já diz tudo. Quando era favoravel a eles era ótimo...agora estao fazendo mimimi.

Anônimo disse...

Por favor..as mudanças no regulamento foram decididas em 2011. Na época nao existia domínio da Red Bull...o problema deles é que a Renault fez um motor ruim...se nao fossem isso eles estariam na frente.

Anônimo disse...

Acho que se existe duvida na confiabilidade do sensor da FIA em fiscalizar o fluxo de combustível (outras equipes confirmaram isso), a FIA perde todo o direito de exigir essa regra...A F1 não é uma categoria Amadora para permitir isso

Anônimo disse...

Só a FIA sabe o tamanho do prejuízo(se é que existe) se a redbull deixar a f1. Na minha humilde opinião, se uma equipe usa o que está usando para pressionar a FIA, esta não merece estar na categoria. Se quer ir embora, que vá!!!! Estou adorando o início de temporada e acho que a FIA acertou em cheio nas novas regras. chato estava no ano passado, quando a redbull sobrava de forma absurda. Foi ótimo ver a willimas ultrapassando uma ferrari. Como foi dito pelo Inácio, duvido que eles estariam reclamando se tivessem feito uma dobradinha. Já vão tarde..;

LenneF1 disse...

esse controle de combustível é uma palhaçada, e outra, quem diz que não vai ser manipulada as mensagens para x equipes diminuírem o ritmo?...

Anônimo disse...

O q mais parece é q a RBR parece aquele garotinho mimado q na hora q o time está vencendo não quer sair do jogo, mas na hora de enfrentar um adversário forte e começa a perder, pega a bola e vai embora da quadra.

Gostava muito da RBR como equipe, pois desde q acompanho F1 (desde 1999) vi uma escuderia de história recente desafiar as grandes esquadras.

Não duvido muito se já na Malásia o Vettel começar a xiar do carro, se o Ricciardo andar novamente a frente.

Anônimo disse...

O mesmo choro da Ferrari na época em que as mudanças nas regras 'prejudicaram' a equipe italiana.
O resultado todo mundo conhece, ameaças serão feitas e nada muda.

Alessandro Silva disse...

Ele fala muito, mas eu só consigo ouvir: Buááááá, buáááá...

Marcos Oliveira disse...

Qquer merda que acontecer com eles, já vai querer sair???
Eu achei absurda a punição por conta de um "honorável medidor" que não funciona direito! Mas seria mais fácil chamar as outras equipes a opinar do que ficar ameaçando com mimimi. Se o sensor é falho mesmo, as outras equipes devem ter percebido isso também! Ou só o da Red Bull que não funciona???

Anônimo disse...

o que mais me estranha no mundo da Red Bull eh que eles torram uma grana preta em esportes radicais e nao conheco ninguem que tome aquela coisa

Leonardo Caldas disse...

Eu estou com ele! Queria cada vez mais barulho em giros de 20000 por minuto. Não esses assobios em motores de gol! muitas pistas os recordes são ainda daquela ferrari do schumacher de 2004.

Leandro Lefa disse...

Inácio, na parte sobre a F1 ser a categoria máxima até concordo com o austríaco. Se for pra termos carros como a Lotus de 1986 com 1200cv (com motores menores do que os que temos hoje), eu sou a favor.

Bill Mask disse...

Isso ae é:
"mimimimimimimi"

Gil disse...

Aí fica fácil...ano passado chorou e ganhou pneus para ganhar o campeonato..agora chora e quer ganhar mais gasolina...aí fica fácil²

Anônimo disse...

Inácio, posso estar errado pois a informação tem muito tempo, mas existe contrato em que se a Red Bull não oferecer um carro competitivo, o Vettel tem liberdade para procurar outra equipe ? Não me lembro se essa garantia também incluia o Newey na equipe, caso ele saísse.

Como será que o Vettel está vendo essa punição, que afeta diretamente o Ricciardo ? Foi uma primeira corrida bem diferente. Lembra quando o Vettel pelo menos demonstrou estar bem incomodado quando o Webber começou a andar constantemente na frente dele em 2010 ?

Será a prova de fogo ? Um companheiro que extraí mais do que ele em um carro que não se mostrou superior ?

Bom, não adianta falar da Toro Rosso e a corrida em Monza, só ver o grid de largada e ver quem foram os 4 primeiros, teve outra Toro Rosso, e também uma Red Bull, se me lembro corretamente, então todos seriam gênios por colocar aqueles carros nas primeiras filas.

Anchor disse...

Reclamando do jogo político fazendo a mesma coisa. A F1 é isso, dentro e fora das pistas. O regulamento dos motores já era previsto à muito tempo, mas depois de três anos anos de regulamentos anti-RedBull, a coisa deu resultado. O domínio sem interupções até durou muito, 4 anos, mas ainda acredito que até o final de ano a coisa volta como era antes e ano que vem a RedBull vai mandar de novo. Um 2014 parecido com 2009...