quarta-feira, 6 de março de 2013

Maldonado e a morte de Chávez


Como todos sabemos, Pastor Maldonado (e alguns outros pilotos) tem sua carreira internacional no automobilismo bancada pela PDVSA, a petroleira venezuelana, graças a interferência direta de Hugo Chávez para que isso ocorresse.

Como todos também sabemos, Hugo Chávez morreu e agora muita gente deve estar se perguntando se o novo líder venezuelano Nicolás Maduro ou algum possível substituto de o posição a ele que pode ser alternativamente eleito nas próximas eleições manterá o dispendioso plano de investimento na Fórmula 1.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1 
Se puxarmos pela memória, dizia-se à época do anuncio da parceria entre Williams e PDVSA que o acordo seria de 5 anos, não necessariamente com Maldonado como titular, mas sim alguém designado em comum acordo entre a equipe e o patrocinador. Na prática essa pessoa é Maldonado, até porque ele tem feito por merecer. Tal contrato (de cerca de 30 milhões de euros por ano), como todos na F1, certamente deve ter lá suas bem amarradas cláusulas que permitiriam sua finalização antes da hora  - um não pagamento de parcela, como bem sabe Luiz Razia, pode ser um deles - mas se Maduro ou outro líder da situação se mantiver no poder, as coisas deverão continuar como estão pois o plano seguiria o interesse desse grupo dominante. Se a oposição vencer, entretanto, a coisa pode mudar de figura, pois certamente eles promoveriam uma reavaliação total dos investimentos do país e esses patrocínios, tão vinculados pessoalmente à figura de Hugo Chávez, de quem Maldonado era amigo e apoiava publicamente, certamente estariam entre elas.

Pelo cenário eleitoral que vemos atualmente as chances de Maduro permanecer no poder são maiores, então ao menos para essa temporada tudo fica como está. Uma vez eleito diretamente Nicolás Maduro pode ele mesmo mudar de opinião, talvez até para imprimir sua própria marca administrativa? Sim, mas se essa improvável decisão ocorrer, o mais provável seria, uma vez mais, a manutenção do atual contrato vigente ao menos até o final de 2013.

Em resumo, se o pessoal de Chávez se mantiver no poder como a maioria acredita que ocorrerá, não creio que Pastor Maldonado perderá muitas horas de seu sono temendo por seu futuro na categoria máxima do automobilismo mundial. Certeza? Ninguém tem, vamos aguardar para ver.


7 comentários:

Renan F. disse...

Chega o momento em que política e o esporte se misturou, por outro lado, até então eu não conheci piloto venezuelano que tenha obtido destaque no automobilismo.
30m em euros é uma grana significativa, não vou dizer que daria pra fazer muita coisa, porque nem conheço o panorama venezuelano, apenas as mazelas brasileiras e a fucking CBA que ela e nada aparentemente são a mesma coisa.
Mas enfim se Maldonado tiver uma cabeça estilo PMDB. Vai se aliar a quem estiver no governo para patrociná-lo e continuar destacando o país.

Anônimo disse...

Se a Williams perder Maldonado a equipe vira "nanica", em tempos de forte crise na Europa, onde Frank Williams vai achar outro piloto com 30 milhões de euros por ano? Tio Frank esta até dependendo de patrocinador fora da Europa, a coisa esta mesmo feia no velho continente. Maldonado é um dos "pilares" da equipe por causa da grana, mas também mostrou certo talento em 2012, portanto, merece esta no time. Desde 2011 o venezuelano exige condição de primeiro piloto, e vai ser assim até ser desbancado pelo talento do companheiro. Se o Maldonado esta preocupado com a morte de Chávez, imagina Frank Williams? O time depende da PDVSA para sobreviver na F-1, acredito que Maduro fica no poder(Chavéz pediu ao povo, se ele não tivesse mais no poder era para apoiar Maduro nas eleições. Bom lembrar, Hugo Chávez foi eleito e reeleito duas vezes na Venezuela, o povo pode eleger Maduro como última vontade de Chavéz). Maldonado no momento tem que mostrar regularidade nas provas, velocidade ele tem de sobra, merece o benefício da duvida. Se fizer uma boa temporada em 2013 pode se manter na F-1 mesmo com um patrocínio mais fraco(muitos pilotos estão nessa situação no meio do pelotão). Se Maldonado não conseguir mostrar serviço, vai ser mais um piloto que fica no mundial até a grana acabar. A carreira de Maldonado na F-1 esta sendo feita de forma planejada e com forte patrocinador, o resto vem com talento. Pastor vai para a quarta temporada, ele sabe que 2013|14 ou vai ou racha de vez. Não vejo problema de Maldonado ser apoioado pelo governo da Venezuela, poucos se lembram, Fangio foi bancado pelo governo argentino. Se o argentino mereceu essa chance, Maldonado também merece...

Anônimo disse...

Corrigindo: Pastor vai para a terceira temporada na F-1.

Rafael Vieira disse...

Bem, como ouvi outro dia, Petróleo mau administrada é um ótimo negócio, bem administrado melhor ainda, ou seja, mais uma vez empresas estatais precisam patrocinar o automobilismo, onde fica uma pergunta e lista de empresas brasileiras que gostaria de ver no ramo:

Companhias aereas como Gol, Tam, Azul, etc: irão lucrar mto com Copa e Olimpiadas, onde esta o trabalho de divulgação global através da F1?

Embraer: como pode uma das maiores do mundo no ramo não levar ajuda alguma a pilotos brasileiros?

Ambev: Mesmo sendo parte aqui e parte fora do Brasil, ao invés de investir só em futebol, vamos pintar um carro de Brahma ou Guaraná antartica de verdade.

Bem se for aberto a lista aqui, a coisa vai longe, mas na verdade, acho que além de receio, tem má vontade dos acionistas tb, pois nos USA olhe a Nascar, todas as marcas do cotidiano em um carro, é como se fosse comercial obrigatório, quem fica de fora é mau visto, então todos devem estar dentro.

Anônimo disse...

Caro como li em jornal, onde o Maldonado diz que morreu um heroi, tá de brincadeira, um cara que afundou a Venezuela, onde há fome, desemprego, entre outras coisas, e ficam dizendo mil maravilhas deste maluquinho, também como só tem presidente maluco na AM do sul, o que podemos dizer. Agora o Maldonado vai se lascar, porque este dinheiro que ele corre, é dinheiro do povo que Chaves roubo para finaciar um cabeça de bagre.

Alixandro Werneck disse...

Boa analise caro Inácio... Na parte política, ficou boa e discordo de muitos mal-informados a respeito da pobreza que o Chávez meteu a população. Falo com propriedade que ele, pelo menos, fez alguma coisa, ao contrario do governo de Punto Fijo que dominou a Venezuela entre 58 e 98.

Anônimo disse...

Pro ano que vem a Williams deve trazer Charles Pic, Max Chilton ou Giedo Van der Garde, pois todos tem bastante dinheiro, o que mostrar ser melhor nesta temporada e tiver mais grana, ano que vem devra correr lá com a saida de Maldonado se ocorrer. E com a granda desse piloto pagante ainda da para trazer o Massa ou o Sutil para ser o primeiro piloto.