quinta-feira, 26 de abril de 2012

Conversas ao pé do ouvido 1

Conversando com alguns engenheiros de algumas equipes de Fórmula Indy, parece que o novo carro da Dallara, o DW2012, apesar de ser melhor e mais moderno que anterior não é tão baratos como inicialmente prometido e esperado pela organização. As peças de reposição são mais caras que as do ano passado e algumas delas mais frágeis quando submetidas a toques (totós);

Com isso, aquela idéia de contar com kits aerodinâmicos de outros fornecedores a partir de 2013, (e a idéia original era que eles já fossem introduzidos nessa temporada) poderá ir pro vinagre, pois esses kits atuais já custam muito e mesmo as equipes com mais condições financeiras (poucas) não parecem dispostas a comprar tudo de novo, uma vez que já gastaram muito com as atuais, que continuarão servindo no ano que vem.

Em outra conversa com um piloto, falou-se do kit aerodinâmico para ovais e as coisas ainda não estão muito boas nesse campo, pois há muito arrasto das peças (resistência ao ar sem um ganho proporcional de pressão aerodinâmica) e segundo ele me disse, a asa traseira anda tão sem inclinação, que em classificação poderiam muito bem correr sem ela (se fosse permitido), pois ganhariam mais velocidade final e não perderiam em pressão.

Curta a página do BLOG no FACEBOOK clicando AQUI e siga-me no Twitter: @inacioF1


Sobre isso, um dono de equipe me disse que hipoteticamente é possível fazer isso sim, mas para configuração de corrida é necessária "mais asa" para lidar melhor com as ultrapassagens e vácuo dos carros à frente. Para refinar e entender melhor o comportamento dessas peças, muitas equipes vão levar seus carro para o túnel de vento logo após a SP Indy 300 antes dos testes no oval do Texas.

Amanhã tem mais...

2 comentários:

Emilius disse...

A Dallara e seu trabalho refinado...

Anônimo disse...

Para bom entendedor,
O carro é um tijolo com asas de pardal.