segunda-feira, 28 de novembro de 2011

GP Brasil - Resultados e análise "equipe-por-equipe"

E num GP sem grande emoções, os pontos altos foram os discutíveis problemas no câmbio da Red Bull de Vettel, que na verdade pode ter entregado a vitoria pro Webber não passar o ano em branco e o toque entre Senna e Schumacher. O resto foi bem normal e até chatinho, já que a tão propalada chuva não veio, para desespero de certos narradores.

Red Bull: Com o carro melhor, passeou sem ser incomodado. Webber fez a lição de casa e largou bem, sustentando sua posição para poder herdar a 1ª quando Vettel "teve problemas de câmbio". Coloco entre aspas porque tem gente que desconfia dessa realidade alegando que problemas como esse deveria impedí-lo de ser rápido no trecho mais travado do circuito justamente quando um câmbio defeituoso deveria tirar-lhe tempo, mas pela cara dos pilotos depois da corrida, não creio muito numa farsa, não.

McLaren: Com o segundo melhor carro do grid, obteve a melhor posição após as Red Bull. Button andou rápido, sobretudo com o ultimo jogo de pneus, ultrapassando Alonso de volta (que havia lhe passado no começo, por fora do laranjinha). Hamilton fazia uma corrida boa e quando tentava passar Massa seu câmbio pediu agua e abandonou a corrida. Que 2012 lhe seja melhor.

Ferrari: Assim como a Mclaren, o jogo de forças dos carros definiu sua posição. Alonso teve um carro bom no começo da prova, passando as duas McLarens, mas quando trocou seus pneus pelos duros, a festa acabou. Massa chegou de novo em 5º, mas se Hamilton estivesse na pista tudo leva a crer que seria 6º, o que não mudaria em nada em sua vida. Que 2012 lhe seja BEM melhor.

Force Índia: Se a Force Índia fosse competitiva como foi desde o começo do ano, possivelmente Renault e quem sabe até Mercedes teriam um ano mais difícil. Sutil fez uma corrida muito boa e passou até sua matriz motriz (gostaram?) em um forte 6º lugar. Di Resta fez uma bela prova numa pista que desconhecia e também teve alguns problemas com seu câmbio.

Mercedes: Corrida discreta dos tedescos que já se dedicam a algum tempo ao carro de 2012.  Rosberg correu bem, mas perdeu a batalha pra Sutil, o que não é positivo, e Schumacher se envolveu no toque com Senna e teve sua corrida muito comprometida tendo que dar uma volta inteira com o penu traseiro em farrapos, chegando atrás de seu eterno rival Barrichello.

Sauber: Kobayashi pontuou de novo, salvando a lavoura Suíça de ficar atrás da Toro Rosso e assim salvando-lhes alguns milhões no orçamento do ano que vem. Perez apesar do erro e rodar sozinho, não faria muito melhor do que fez numa pista desconhecida, mas eu esperava mais do mexicano promissor.


Renault: Em mais uma corrida discreta, a equipe francesa ao menos marcou um pontinho com Petrov, que se não foi exuberante ao menos não se envolveu em toques como Senna. Não, não estou dizendo que Senna fez besteira, mas talvez pudesse ter evitado o toque em Schumacher, que na minha visão foi de corrida e não justificava a punição recebida. Depois disso seu ritmo de prova foi fraco, talvez comprometido pela asa avariada na confusão.

Toro Rosso: Alguersuari de novo à frente de Buemi e assim a disputa pra ver quem fica em 2012 continua incerta, pois se o espanhol tem andado melhor, o suíço dá melhor retorno técnico à equipe. Nessa corrida assim como em Abu Dhabi o carro deles não foi tão bem como em algumas etapas antes, perdendo a chance de passar a Sauber nos pontos.

Williams: Com os carros regulados para uma chuva que não veio, ambos perderam vários lugares na largada por usar uma 1ª marcha mais longa. Depois disso remaram o quanto puderam com um carro ruim. Barrichello terminou na 14ª colocação à frente de Schumacher e Maldonado passou reto e bateu, mostrando um pouco do velho Maldonado que fez fama na GP2.

Lotus: Continua com sua mesma sina desde o meio do ano: seu carro é bem melhor que os de Virgin e Hispânia mas ainda não os permite brigar no pelotão intermediário, ficando num limbo competitivo onde só os dois companheiros disputam. Mas graças à punição e ritmo ruim de Senna, Kova ficou à frente da Renault. Trulli comboiou.

Virgin e Hispânia: Mais da mesma figuração de sempre. Destaque para o ridículo lance onde os mecânicos de Glock liberaram-no do pit-stop antes de sua roda traseira esquerda estar devidamente aparafusada, gerando seu abandono e uma multa.



Pos
Piloto Equipe Voltas Tempo Grid Pts
1
Mark Webber Red Bull 71 Ganhador 2 25
2
Sebastian Vettel Red Bull 71 +16.9 segs 1 18
3
Jenson Button McLaren 71 +27.6 segs 3 15
4
Fernando Alonso Ferrari 71 +35.0 segs 5 12
5
Felipe Massa Ferrari 71 +66.7 segs 7 10
6
Adrian Sutil Force India 70 +1 volta 8 8
7
Nico Rosberg Mercedes 70 +1 volta 6 6
8
Paul di Resta Force India 70 +1 volta 11 4
9
Kamui Kobayashi Sauber 70 +1 volta 16 2
10
Vitaly Petrov Renault 70 +1 volta 15 1
11
Jaime Alguersuari Toro Rosso 70 +1 volta 13
12
Sebastien Buemi Toro Rosso 70 +1 volta 14
13
Sergio Perez Sauber 70 +1 volta 17
14
Rubens Barrichello Williams 70 +1 volta 12
15
Michael Schumacher Mercedes 70 +1 volta 10
16
Heikki Kovalainen Lotus 69 +2 voltas 19
17
Bruno Senna Renault 69 +2 voltas 9
18
Jarno Trulli Lotus 69 +2 voltas 20
19
Jerome d’Ambrosio Virgin 68 +3 voltas 23
20
Daniel Ricciardo HRT 68 +3 voltas 22
Ab
Vitantonio Liuzzi HRT 61 +10 voltas 21
Ab
Lewis Hamilton McLaren 46 +25 voltas 4
Ab
Pastor Maldonado Williams 26 +45 voltas 18
Ab
Timo Glock Virgin 21 +50 voltas 24

2 comentários:

Cabral MF disse...

Inácio vc tem o video da camera onboard do Barrichello na largada??
#tamojunto2012

Nick Mason disse...

Como já vi em algum lugar; se o Ayrton Senna com apenas UMA marcha foi capaz de vencer uma corrida, por que o Vettel com duas marchas a menos não seria capaz de chegar em segundo? O Button disse que é perfeitamente possível um piloto fazer tempos de volta competitivos, mesmo com algum problema, já que o piloto é capaz de se adaptar rapidamente ao problema.

E por marchas a menos também, o Bruno Senna andou se arrastando na pista, mas ao contrário do tio dele e do Vettel, ele não foi capaz de se adaptar ao problema. rsrs