segunda-feira, 26 de setembro de 2011

GP de Cingapura - Resultados e análise "equipe-por-equipe"

Como tem sido a tônica desse ano inteiro, foi mais um GP vencido com facilidade por Sebastian Vettel e disputado no pelotão intermediário, com acontecimentos polêmicos como a batida de Hamilton em Massa e o vôo de galinha de Schumacher.

Red Bull: Mais uma vez sobrou na pista sob a direção irretocável do virtual bicampeão Vettel. Webber pra variar largou mal (estava no lado sujo da pista) e passou o resto da corrida tentando minimizar os prejuízos, mas não teve ritmo para ameaçar Button que tinha um carro inferior.

McLaren: Melhor carro após a Red Bull, não teve, entretanto, como fazer frente Vettel. Button fez tudo que pode, administrou bem seus pneus e abriu vantagem suficiente para não ser ameaçado por Webber no final. Hamilton largou mal (no lado sujo também) e fez mais uma besteira na batida com Massa (3ª foto), desperdiçando sua chance de chegar ao pódio quem sabe até no lugar de Button, mas fez uma segunda metade de GP bem agressiva e recuperou parte do terreno perdido na sua lambança inicial.

Ferrari: Com um carro que era de fato a terceira força do grid, chegou num modesto quarto lugar com Alonso, atrás apenas dos carros que lhe são superiores e que não cometeram erros (Hamilton cometeu, ficou atrás). Massa poderia até ter feito uma corrida razoável chegar junto com Alonso, imagina-se, mas o estabanamento de Lewis impediu-nos de aferir isso. Com o quiprocó todo foi parar lá atrás e terminou num fraquíssimo 9º lugar, posição muito ruim mesmo em considerando seu acidente e que Hamilton, que por ocasião das punições chegou a ficar ainda mais atrás terminou numa posição bem melhor. Ok, o carro de Hamilton era melhor, mas o brasileiro pareceu resignado por tempo demais na pista. Fora dela não: foi mostrar ao Hamilton sua insatisfação pela barbeiragem dele (4ª foto).

Force-Índia: Talvez não consiga alcançar a Renault no campeonato de construtores, mas a equipe indiana da cada vez mais indicações que é a real quinta força do grid (as vezes até quarta, disputando com a Mercedes). Di Resta soube capitalizar a parada de box a menos e chegou num bom 6º lugar e Sutil, 8º mostrou que a equipe tem bom ritmo também em pistas travadas.

Mercedes: Numa pista onde o motor não fala tão alto, o desempenho do chassis deixou um pouco a desejar de novo. Terminaram atrás de "todas" as equipes com motores Mercedes, no caso de Rosberg, e ainda viu seu piloto mais experiente cometer um erro de principiante ao acertar a traseira de Perez ocasionando a entrada do Safety-car.

Sauber: Perez pontuou, o que é razoável, mas perdeu mostra que a equipe perdeu o fôlego que tinha no começo do ano e não deve retomar a 6ª colocação no campeonato de construtores perdido para o time acima. Pra por mais pressão, a Toro Rosso está em seu encalço à apenas 7 pontos de distância. Koba não foi bem, chegando em 14º, 2 voltas atrás do líder.

Williams: Se na classificação deram a entender que poderiam tentar marcar pontos, na corrida a impressão se desfez. Não que seu ritmo fosse péssimo, mostrando que as novidades no carro tiveram algum efeito, mas não tinham pique para tentar nada, apenas torcer por desistências. Maldonado largou bem e passou Barrichello. No fim da corrida, com pneus mais novos conseguiu repassar o brasileiro e terminou em 11º. Rubinho largou mal (lado sujo do grid, lembra?), perdeu a posição pro Maldonado e depois de comboiá-lo por um bom tempo teve sua estratégia de uma parada a menos arruinada com a entrada do Safety-car, que o obrigou a antecipar seu último pit deixando-o tempo demais com os mesmos pneus no trecho final e sem abrir a diferença ideal. No fim da corrida Maldonado e Buemi chegaram a tirar 4 segundo por volta, sendo a ultrapassagem mera questão de tempo. O 13º lugar com os pneus em farrapos foi o resultado.

Toro Rosso: Com histórico de marcar pontos em corridas em que largam do fundo, dessa vez a equipe decepcionou e nada marcou. Buemi foi o 12º e Alguersuari abandonou numa batida perto do fim da corrida quando estava mais atrás ainda. Não marcou ponto e perderam a chance de se aproximar da Sauber.

Renault: Classificação ruim, corrida pior. Bruno bateu no muro logo no começo e perdeu o bico, obrigando-o a parar uma vez mais e sepultando qualquer ideia de disputar pontos. O carro realmente não gostou nada dessa pista. Se Senna não teve uma corrida decente, Petrov teve uma digna de nota negativa: mesmo sem bater terminou atrás de Bruno Senna e atrás ainda de Heikki Kovalainen da tradicionalmente mais fraca Lotus.

Lotus, Virgin, Hispânia. Aqui os louros vão para a equipe verde e amarela de Tony Fernandes. Eles terminaram em uma posição baixa, é verdade, mas à frente do carro de sua rival de honra a Renault preta e dourada, mostrando que de fato cada vez mais se destacam no pelotão do fundão. Trulli ficou com o motor pelo caminho. Virgin terminou com D´Ambrosio, já que Glock abandonou e a Hispânia viu mais uma vez seus dois carros terminarem, o que mostras que os problemas de confiabilidade do começo do ano parecem mesmo superados

Ordem de chegada:
1º. Sebastian Vettel (Red Bull), 1h59min06s537
2º. Jenson Button (McLaren), a 1s737
3º. Mark Webber (Red Bull), a 29s279
4º. Fernando Alonso (Ferrari), a 55s449
5º. Lewis Hamilton (McLaren), a 1min07s766
6º. Paul di Resta (Force India), a 1min51s067
7º. Nico Rosberg
8º. Adrian Sutil (Force India), a 1 volta
9º. Felipe Massa (Ferrari), a 1 volta
10º. Sergio Pérez (Sauber), a 1 volta
11º. Pastor Maldonado (Williams), a 1 volta
12º. Sebastien Buemi (Toro Rosso), a 1 volta
13º. Rubens Barrichello (Williams), a 1 volta
14º. Kamui Kobayashi (Sauber), a 2 voltas
15º. Bruno Senna (Renault), a 2 voltas
16º. Heikki Kovalainen (Lotus), a 2 voltas
17º. Vitaly Petrov (Renault), a 2 voltas
18º. Jerome D’Ambrosio (Virgin), a 2 voltas
19º. Daniel Ricciardo (Hispania), a 4 voltas
20º. Vitantonio Liuzzi (Hispania), a 4 voltas
Não completaram:
Jaime Alguersuari (Toro Rosso)
Jarno Trulli (Lotus)
Michael Schumacher (Mercedes)
Timo Glock (Virgin)

E você, o que achou da corrida?

4 comentários:

joakineto disse...

Di Resta mostrou seu potencial. E a punição à Hamilton foi exageiro. Agora imaginem um campeonato sem Vettel? Ia ser o mais disputado da história! Que tal você fazer a projeção Inácio do Campeonato sem Vettel e no lugar dele um piloto mais fraco que Webber que sempre chegasse uma posição atrás do mesmo.

Júlio Barbosa disse...

Jean Todt - "Lewis is faster than you. Can you confirm you understood that message?"
Felipe Massa - "Okay! :|"

Rodrigo Vilela da Silva disse...

Salve, Jose Inacio. Análise perfeita. Comenta no meu blog tbm. Grande abraço!!

Leo Santojo disse...

Achei a corrida maçante, tanto que dormi em algumas partes. Tomara que as proximas provas tenha um pouco mais de disputa.