sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O desafio de Pipo Derani

Pipo Derani ingressou em 2011 na equipe R2 da tradicionalíssima F3 inglesa, celeiro de campeões de F1.
2011 ainda lhe deverá ser um ano de aprendizado, para entender e conhecer algumas das pistas nas quais ele talvez não tenha corrida e que vários de seus rivais, em seus segundos anos na categoria, já.

Dá pra Pipo ser campeão de cara? Dá. Dá pra esperar por isso? Não e não devemos mesmo. O talento de Pipo não está em questão, mas o que disse no fim do parágrafo acima é algo que deve pesar muito. Se sua nova equipe lhe der um equipamento de ponta durante todo o ano, Pipo terá chances de aprender tudo sobre os traçados, se integrar mais profundamente com a equipe, azeitando o relacionamento com seus novos mecânicos e engenheiros e assim comparecer com regularidade nos primeiros lugares das provas.

Com base nos resultados desse ano ele deverá vir ainda mais forte para 2012, provavelmente na mesma categoria, aí sim já na disputa direta pelo título - sempre na dependência de receber de sua equipe um equipamento à altura.

Depois disso, em ele indo muito bem em 2012, com o reconhecimento por seu sucesso e atenção de equipes de F1 e (tomara) patrocinadores, estaria pavimentada sua ida para a GP2 ou F-Renault 3.5, onde uma vez mais deverá ter 1 ano de adaptação em 2013 e outro já na disputa pelo título em 2014.

Todos esses planos podem atrasar 1 ou 2 anos, conforme contingências de ocasião e pequenos desvios colaterais de momento, mas como denominador comum está a necessidade imperativa dele obter os resultados esperados (sem ufanismo, mas com realismo) para continuar ascendendo no automobilismo internacional e assim ambicionar sua chegada sólida à F1.

Sentiram o tamanho do desafio de Pipo? É osso duro. Mas Pipo também é. Em conversas com ele sente-se sua determinação e paixão pelo que faz, sente-se a calma e confiança de quem está bem assessorado, gerido, empresariado e sobretudo, de quem sente no braço que é capaz de voar mais alto. Pipo não é um aventureiro brincando de corridas, mas um piloto crescendo solidamente e sem queimar etapas em sua busca do topo.

Boa sorte Pipo, 2011 será um ano importantíssimo para sua carreira. Depois das categorias anteriores posso dizer até que será o primeiro ano de 5 ou 6 anos que definirão sua vida nas pistas.

Mas ei, calma lá! Não vamos avançar no tempo antes da hora. O que importa agora é 2011 e ele está na F3 inglesa numa equipe de ponta. Isso não é, absolutamente, pouca coisa e quem conhece de automobilismo sabe a peneira fina pela qual ele já passou para assegurar esse cobiçado assento.

Boa sorte em 2011 Pipo, e rumo às vitórias e aos título, tudo a seu tempo!

Um comentário:

Charles disse...

Tomara que ele tenha mais sorte com relação a f1 que o Danilo, se é que tem projeto de chegar lá. A f1 precisa de um resgate, não dá pra vários clubes ficarem pagando 3 milhões para cada sujeito chutar bola e a f1 não propiciar condições para talentos e ficar recebendo grana de piloto. Sucesso em qualquer categoria!