quinta-feira, 15 de julho de 2010

Análise do meio de ano: Toro-Rosso

A irmã menor e mais pobre da Red Bull terminou o ano de 2009 sem os rumores de que seria vendida, como se ouviu no ano anterior. Além disso teve a promessa de seu proprietario Dietrich Mateschitz, que receberia um pequeno aumento de orçamento, visto que teria que conceber e produzir sozinha seus próprios carros, que antes eram gerados em íntima parceria com sua irmã maior com a valiosa assinatura de Adrian Newey.

Com início da temporada verificou-se que ela figuraria no nundo do pelotão intermediário, disputando posições com Sauber e Williams, antes dessas se recuperarem. Com o passar das corridas entretanto o desenvolvimento do carro foi ficando pra trás, sem nenhuma grande atualização como duto frontal, escapamento perto do assoalho, etc, de modo que seus jovens e rápidos pilotos Sebastien Buemi e Jaime Alguersuari (fotos acima) tem visitado cada vez menos o Q3 e a zona de pontuação e a disputa com Sauber, Williams, Force Índia e Renault tem se resumido a momentos circunstanciais, quando pilotos dessas equipes tem algum problema ou um fins de semana pouco inspirados.

As pretensões da Toro Rosso não são muito grandes, para tristeza de seus pilotos. Ela é um celeiro de pilotos para serem preparados para, se mostrarem serviço, serem promovidos para a "nave mãe" Red Bull quando houver vaga. O mínimo que se pode esperar da equipe sediada em Faenza, Ítalia (na mesma fabrica da antiga Minardi) é que corra atrás dos prejuízos e avance mínimamente com as atualizações de seu carro, seja para possibilitar a seus pilotos o mínimo de competitividade seja para não ser engolida pela ascendente Lotus se ainda não esse ano, no seguinte onde estará mais forte.

3 comentários:

Lucas Lemos disse...

A STR começou bem, mas realmente está no fundo do poço, disputando com a Sauber, mas esta agora deu uma melhorada e tanto.

Pena, sempre gostei do carsimático time de B da RBR.

José Inácio Pilar disse...

Pois é... a falta de um orçamento maior e de pilotos mais experiente talvez sejam componentes dessa atual má fase. Quanto ao carisma, creio que ela herdou parte do que sua predecessora Minardi tinha!

Abraços

Lucas Domakoski disse...

Excelente blog, parabéns! Gostei muito dos diferenciais, das ''análises de meio de ano'' e das curiosidades, além dos ótimos posts sobre as novidades aerodinâmicas. Já está nos meus favoritos, continue assim!
Quanto à Toro Rosso, acredito que apesar do desempenho ruim desse ano a equipe italiana é importante para a F1, pois vem revelando grandes talentos para o automobilismo. Acredito muito no talento de Alguersuari e Buemi, e creio que se tiverem suas habilidades lapidadas poderão se transformar em grandes pilotos no futuro. Mais uma vez, parabéns pelo blog! Abraço!