terça-feira, 18 de maio de 2010

Cosworth quer continuar com a Williams

A Williams pode estar pensando em trocar a Cosworth por outro fornecedor de motores, mas a fábrica inglesa não vai desistir fácil de sua parceria. Mark Gallagher, Diretor Geral da Cosworth F1 declarou que quer manter a parceria com a equipe de Grove, que julga importantíssima, e elogiou Rubens Barrichello.

"Uma das enormes vantagens de se trabalhar com um equipe como a Williams, e particularmente com  um piloto de grande experiência como Rubens Barrichello, é o nível de feedback que eles nos dão, que exige que a Cosworth corresponder todas as preocupações e otimisar nossa performance em todos os passos do caminho."
"Isso porque eles são comprovadamente vencedores, como nós, e sabem o que é necessário. O CA2010 (nome do motor)
  já alcançou ou excedeu suas metas mas também trouxe outros pontos que estamos trabalhando duro para resolver. Isso é parte da natureza incansável da Formula 1 e suas exigências técnicas.
Tudo que compromete o desempenho e a confiabilidade ou atrapalha os pilotos é um desafio para nós, e temos apenas um objetivo em mente: Dar aos nossos clientes a melhor solução de motores possível, seja para as equipes novas reduzirem suas diferenças para as equipes estabelecidas, seja para a Williams voltar para o pelotão da frente.
"

Sobre a decepção da Williams com seus motores, ainda disse:


"Uma coisa que sabíamos e que nos levou à parceria com a Williams é que precisávamos de uma equipe referencial de excelência, então a decepção deles com as primeiras 5 corridas é totalmente compartilhada pela Cosworth"

Sobre o problema de perda de desempenho dos motores conforme eles envelhecem, Gallagher declarou:

Nós vimos a deterioração da performance e, conforme avançamos na vida útil dos motores, seremos capazes de medir isso" Ele disse "Certamente temos consciência que há espaço para melhorar a durabilidade de alguns componentes, então podemos garantir que essa perda será compensada. O problema de degradação não é, de nenhuma maneira, um fator definitivo para nós, mas significa sim que quando os pilotos dirigem um motor novo eles tem boa performance que se perde mais rapidamente do que eles gostariam, - e certamente mais do que nós gostaríamos - Agora estamos em condições de medir isso."

Ainda sobre a equipe de Frank Williams, acrescentou:

"Para um time como a Williams, cada coisa que compromete a performance deles, devido à posição que estão (como equipe grande), significa muito."
Passado o bom início, estamos agora em condições de ver como uma equipe como a Williams e um piloto como Rubens Barrichello, que francamente só se interessam por chegar ao pódio, tem de exigências. E em todas as áreas onde nossos motores não estão correspondendo ao desempenho esperado, teremos que subir mais um degrau, então a pressão está aí e nós temos que trabalhar em muitos desses problemas."


Gallagher insiste que Cosworth e Williams devem trabalhar juntas para melhorar seus rendimentos:

"É uma questão de trabalhar junto, os escapamentos, por exemplo, são um item da Williams, assim como as entradas de ar, e é por isso que temos que trabalhar com eles como mão e luva. Em termos de performance máxima, a Williams tem o potencial para nos levar para frente. Estamos usando a Williams para por pressão sobre nós mesmos e para corresponde-la, porque quando uma equipe como a Williams não está conseguindo os resultados que quer, eles mesmos se pressionam.
Nós temos a responsabilidade de fazer tudo que pudermos para ajudar a Williams, e por isso deverá ser bom quando eles voltarem a estar onde deveriam - que é marcando pontos regularmente e brigando por podiums. Para mim, isso é o que vai garantir nosso futuro e vender mais motores para outras equipes."
, encerrou Gallagher.

3 comentários:

Anônimo disse...

esse camarada aí é uma verdadeira piada!!!

Mais besta é o Frank, que foi cair na conversa dessa turma aí

piero. disse...

Quem critica a Cosworth não tem a minima idéia de como se desenvolve um motor e um F1.

É uma empresa séria e acredito que em menos de 2 anos estará novamente em condições de brigar pelos pódiuns.

É esperar p/ ver

Anônimo disse...

A Cosworth já foi dominante na F-1. Na década de 70, apenas Ferrari e BRM não usavam esse motor. Mas agora, voltando depois de tantos anos fora do circo, era de se esperar um propulsor que desenvolvesse uma potência pelo menos compatível com os concorrentes. O Frank e o Rubinho estão fazendo sua parte. A Williams já foi uma equipe de ponta, com Mansell, Piquet, Prost e Senna, que inclusive morreu pilotando uma Williams. Foi prometida para as próximas provas uma versão mais potente. vamos esperar.
-Arthur Motta - arquiteto